Agenda

À margem esquerda do riacho Cerradão, na paragem usada para pouso de boiadas, foi onde tudo começou em 1906. No atual cruzamento da Avenida 9 de Julho com a Rua 13 Maio, antiga Rua do Comércio, popular e tradicionalmente conhecida por “Rua do Sapo” – por ser à beira do córrego, era povoada desse anfíbio – foi o lugar escolhido pelo fundador José Crescencio de Souza, para construir as três primeiras casas de pau-a-pique, marco inicial do futuro município.
Em 1908 chegaram os irmãos Manuel, Justino e Carlos Rodrigues de Sant’Anna, que em 1910 resolveram construir um patrimônio, doando treze alqueires de terra à Igreja. A primeira capela foi erguida em 1913 e o pequeno povoado que se formava recebeu o nome de “Cerradão”. No ano seguinte, a vila foi elevada a Distrito de Paz, pela Lei Nº. 1.415 de 7 de julho de 1914.
Grandes mudanças passam a ocorrer a partir de 1918, depois de Antonio Gonçalves da Silva assumir o cargo de escrivão de paz, tornando-se um dos principais batalhadores pela emancipação política do distrito. Desse empenho, por força da Lei Nº. 2.007 de 23 de dezembro de 1924 o distrito de Cerradão é transferido do município de Rio Preto para o de Mirassol, passando a denominar-se José Bonifácio-SP, em homenagem ao Patriarca da Independência do Brasil.
Segue-se, então, um período de contínuo progresso. A antiga capela é substituída em 1919 por outra, com a frente voltada para a avenida Campos Sales – posteriormente ampliada. Constrói-se uma estrada interligando o distrito desde o Salto do Avanhandava até Rio Preto-SP. Cria-se o Correio Federal, fundam-se as Escolas Reunidas, além de iniciar o arruamento da sede distrital.
Assim, pela Lei Nº. 2.177 de 28 de dezembro de 1926 é criado o município de José Bonifácio-SP, que é solenemente instalado em 6 de junho de 1927. Por fim, a Comarca de José Bonifácio-SP foi criada em 30 de novembro de 1938, pelo Decreto Nº. 9.775, desvinculando-se da Comarca de Rio Preto-SP.

(por Jorge José Bitar)